Qualificativa TRI e apuramento CMGI TRS

Dia 14/03, encontro às 6h45 para mais uma maratona de trampolins! Este é talvez o dia mais longo do calendário anual, uma prova que não dá treguas, principalmente aos treinadores, que mal têm tempo para almoçar entre aquecimentos e provas dos mais de 20 ginastas da AAC em competição.

As metas não eram fáceis, mas os ginastas mostraram que trabalharam muito bem, principalmente nas 3 últimas semanas de trabalho específico de competição.

O início não foi o melhor, no primeiro grupo, os ginastas Miguel Batista e Carolina Carneiro falharam o apuramento para o nacional por muito pouco (0,02 pontos para a Carolina, por exemplo), apesar de um 5º e 3º lugares finais respectivamente. Pena para um trabalho de muita qualidade que os ginastas realizaram.

A meio da manhã as coisas começaram a animar, não fosse a altura da participação de Leonor Cunha, uma das ginastas mais bem dispostas da comitiva! Leonor, ginasta iniciada, conseguiu um apuramento que lhe falhou por pouco no distrital, juntando-se no grupo seguinte Beatriz Ferreira, que também realizou uma boa prova. Estas 2 ginastas juntaram-se a Rita Abrantes que já tinha conseguido o apuramento directo e que realizou igualmente uma boa prova, apenas com uma pequena falha na primeira série. Boas perspectivas para a competição por equipas no nacional.

Na mesma altura, Rita Oliveira realizou uma das melhores primeiras séries da prova no escalão Junior, mas uma falha na segunda deixou-a de fora de um apuramento praticamente garantido. Este desporto mostra que por vezes é ingrato, uma pequena falha pode deitar todo um trabalho de meses por terra.

Foi também o caso de Beatriz Pinto, uma das melhores ginastas em competição no escalão Juvenil, com perspectivas de atingir notas mínimas para apuramento para os campeonatos do mundo, teve uma falha grave e não conseguiu mostrar todo o excelente trabalho que tem vindo a realizar. Ainda assim, estará presente no nacional juntamente com Joana Abrantes que conseguiu elevar o seu nível e obter uma marca interessante e uma prestação fantástica que quase lhe dava nota mínima para o dito apuramento, foi apenas suficiente para se classificar para o Nacional. A terceira Juvenil de 1ª Divisão, Sofia Guimarães, não conseguiu apuramento por pouco, já que a altura a que saltou na sua série não lhe permitiu ganhar pontos suficientes para chegar ao Nacional.

No escalão Junior 1ª Divisão, Marta Marques esteve num dia inspirado e mesmo acreditando que seria pouco provável a sua passagem ao nacional, a verdade é que a pontuação foi suficiente para lá chegar. Uma das ginastas mais antigas da Secção na classe de Trampolins estará presente no nacional fruto de uma atitude bastante positiva, merecendo esta "prenda".

Muito semelhante à Marta foi a prestação de Diogo Batista, desta vez nos iniciados masculinos. Apesar de ter sido muito próximo da nota limite, Diogo conseguiu com esforço e concentração, um apuramento que parecia distante.

Nos grupos finais, sortes distintas. Rafaela Carneiro foi a melhor prestação do dia da AAC, garantindo um apuramento para o campeonato nacional de Juvenis Femininas, escalão Base, com um 2º lugar final entre as cerca de 40 ginastas presentes. A ginasta nem queria acreditar, mas é um resultado justo para a dedicação desta ginasta no dia a dia e que pode servir como alento para o futuro. Do lado masculino, mas na 1ª divisão, Diogo Fernandes realizou também excelentes séries e recuperou de uma pequena lesão que o impediu de se preparar ainda melhor. Por seu turno, Juliana Almeida e Luís Simões nos séniores e Sofia Magalhães não conseguiram alcançar o objectivo de se apurarem para o campeonato nacional. Vários erros cometidos impediram estes ginastas de carimbar o passaporte para Santo Tirso, em Maio próximo.

A prova atrasou-se e a chegada a Coimbra foi apenas cerca das 23h00, mas no dia seguinte, às 7h45, a comitiva já estava a sair novamente para a estrada em direcção a Tomar, para as provas de qualificação para o campeonato do mundo por idades em trampolim sincronizado. O Domingo foi madrasto, já que nenhum dos 3 pares em competição conseguiu o apuramento, sendo que eu 2 casos houve falhas graves a deixar os ginastas pouco contentes com a sua prestação. Melhor sorte se espera no campeonato nacional, 2º momento de apuramento para esta importante competição.

A AAC garantiu assim a presença de 9 ginastas individuais no nacional de Trampolim, modalidade olímpica da Secção de Ginástica, bem como de 5 pares sincronizados, o que mostra bem a evolução que tem existido num meio muito competitivo.

A próxima prova é para os mais novos, a Beach Cup em Carcavelos, torneio particular internacional que se realizará nos próximos dias 2, 3 e 4 de Abril.

Apresentação no TAGV

 

Como anunciado, a classe SUB20 participou na abertura do festival de tunas mistas de Coimbra, Oito Badaladas, com a apresentação do esquema Fiesta, numa organização da Quantuna.

 

 

O usufruto do palco do TAGV é sempre um momento único, em que a beleza do espaço faz esquecer as dificuldades técnicas que um chão de madeira e as dimensões  do próprio palco sempre causam.

 

Podem ver as as FOTOS dos bastidores e da apresentação (até dia 22 de março).

SUB20 no Oito Badaladas

Dia 14 de março, sábado, pelas 21 horas realiza-se no Teatro Académico de Gil Vicente o Festival de Tunas Mistas de Coimbra, Oito Badaladas.

Organizado pela Quantuna, a edição deste ano conta com a participação da SUB20, que irá fazer a abertura do espetáculo com o esquema Fiesta, permitindo desta forma a coexistência da ginástica com a academia.

Estão todos convidados!

Medalha de bronze no MIAC

A ginástica Acrobática da Associação Académica de Coimbra terminou no passado Domingo a participação no Maia International Acro Cup 2015, prova que se realizou em simultâneo com a Taça do Mundo da FIG da mesma especialidade. No dia de todas as finais, os ginastas academistas viveram alguns momentos de emoção próprios da competição ao nível internacional, onde mais uma vez se demonstrou a necessidade de estar ao melhor nível nos momentos decisivos de qualquer competição.

Logo pela manhã, entraram em ação o par feminino Bárbara Figueiredo/Simone Lopes e o trio feminino Mª Beatriz Sousa/Alexandra Simões/Mª Sofia Correia, entrando para as finais nos 2º e 9º (ex-aequo com mais 2) lugares respetivamente. Para o par feminino o dia podia ainda ter corrido melhor, pois um pequeno desacerto de um segundo não mantido numa figura, custou o 2º lugar com a consequente descida ao 4º posto. Para o trio a regularidade foi palavra de ordem, tendo cumprido o seu exercício sem falhas, ainda que uma atrapalhação com a música no final pudesse ter custado caro, obtendo uma nota similar à da fase preliminar e perdendo apenas uma posição (10º no final). Naquela que foi ainda assim uma fantástica primeira competição internacional para estes jovens ginastas, só podemos constatar que foi evidente a vontade de continuar a treinar para alcançar melhores resultados e terem uma nova oportunidade de competir a este nível.

Junto à hora de almoço, competiram o par feminino do escalão AG2, Rita Fontes/Carolina Vaz, que entraram confiantes par ao exercício apesar de algum condicionamento físico da Rita, realizando um exercício de bom nível que lhes permitiu manter a 7ª posição com que entraram na final, num grupo de pares femininos bastante forte e mostrando que com um pouco mais de acerto especialmente na parte coreográfica podem sem problemas entrar noutras discussões da classificação final.

Pouco depois assistimos à final do mesmo escalão AG2 para o trio Rita Pratas/Mafalda Figueiredo/Constança Monteiro, que entrando na mesma em 6º e apesar de um pequeno desequilíbrio, conseguiram escalar 2 lugares na classificação final e ficar a apenas 0,750 pontos do pódio. Este não é seguramente o exercício mais afinado deste conjunto, mas ainda assim, o trio não hesitou no momento decisivo e conseguiu um excelente lugar aos fim dos 3 dias de competição contra 30 trios de muito bom nível, onde qualquer pequeno desacerto teve sempre consequências sérias na classificação, do que é exemplo o nosso trio Francisca Veloso/Sandra Couceiro/Margarida Lameiras que apesar dos bons exercícios realizados não alcançou o acesso à final.

A finalizar o dia e esta competição, esteve o par misto Pedro Calheiros/Beatriz Côdeas a realizar o exercício de combinado onde entrou em 2º lugar com apenas 0,25 pontos de vantagem sobre o terceiro lugar, vantagem essa que não conseguiu segurar, tendo tido algum infortúnio logo no primeiro elemento técnico realizado. Fica a sensação que poderia ter sido possível fazer melhor, mas ainda assim, ficou demonstrado que com mais treino e acerto estão aí para fazer um resto de época em crescendo nas competições nacionais. No final da competição foram 3º a 2,5 pontos do 2º lugar, uma posição que seria possível alcançar.

Um destaque final para o resultado alcançado na competição por equipas onde a AAC tinha equipa no escalão Age Group2 (8 equipas em competição), tendo-se classificado em 4º com uma soma de 157,750 pontos a 2,15º de distância do pódio, todo ocupado por equipas estrangeiras. Refira-se contudo que com esta classificação a AAC foi a melhor equipa nacional e obteve mais um grande resultado pela homogeneidade dos resultados dos pares/grupos integrantes da equipa.

A terminar o evento realizou- se o jantar/festa final onde todos puderam conviver e divertir-se, aliviando o stress competitivo de 3 dias, ao longo dos quais todos procuraram fazer o melhor que sabem a modalidade que praticam com tanta dedicação.

Terminada esta competição, onde a AAC alcançou resultados de sucesso, garantindo a presença em todas as finais dos escalões onde participou, numa competição mais de 600 ginastas de 16 países, resta-nos dar os parabéns aos ginastas pela participação, ao clube organizador pela qualidade do evento e também agradecer a todos quanto apoiaram este projeto de participação na competição, esperando pelas próximas oportunidades competitivas.

Qualificativa TRI

Sábado, dia 14 de março, realiza-se a Prova Qualificativa de Trampolim Individual no pavilhão Municipal de Tomar e a Académica estará presente com 22 ginastas.

Prova que vai determinar quem acede ao campeonato nacional da especialidade, obriga cada ginasta a obter a nota mínima de apuramento e a estar na cota de lugares disponíveis do seu escalão, juntando-se assim aos que obtiveram apuramento direto no campeonato distrital.

Nesta prova vamos ter ainda o apuramento na 1ª divisão, que surpreendentemente apresenta também cotas de apuramento (!) o que irá excluir mais de metade dos ginastas mais evoluídos (por isso estão a participar numa divisão com exercícios obrigatórios mais exigentes) do campeonato nacional! A AAC já fez uma exposição à Federação, sobre a situação, defendendo que somente seja exigida a nota de apuramento.

No domingo, dia 15, realiza-se ainda a prova de apuramento para o campeonato do mundo, em Trampolim Sincronizado e a Académica estará presente com 7 ginastas.

Boa sorte para todos.

CIRCULAR        COTAS          ORDEM DE PASSAGEM

Mais artigos...

SEDE:

Secção de Ginástica Associação Académica de Coimbra | R. Padre António Vieira, N.º1 - 5º Piso | 3000-315 Coimbra

LOCAL DE TREINOS:

Estádio Universitário de Coimbra (EUC) - Pavilhão 1 e 2

(Todos os dias a partir das 17:30h)

Email: acginastica@gmail.com  |   Tel: 910446762